Notícias

O município de São José do Divino elegeu no fim de semana sua primeira Miss Gay. A eleita foi Sabrina Ferrari, que representou o centro da cidade. A deputada federal Iracema Portella foi escolhida como madrinha e comemorou o sucesso da festa. “Parabenizo a organização do evento, Mona e Marciel Caldas cuidaram de todos os detalhes para que fosse um momento único em São José do Divino”, comentou a parlamentar. A coordenadora da Mulher Progressista, Erinalda Feitosa, Adsandra Alves e Flavia Cunha, do Afro Progressista, marcaram presença no evento. “É muito bom ver que nossos ideais de respeito se fazem presentes também no interior. A escolha da Missa Gay São José do Divino reuniu um grande número de pessoas e a organização foi elogiada por todos”, disse Erinalda Feitosa.

Setenta famílias de Itainópolis receberam Kits de Irrigação da Coordenação de Fomento à Irrigação do Piauí. O requerimento em nome das famílias foi feito pela deputada federal Iracema Portella, após pedido de agricultores dos municípios. Os kits de irrigação são importantes para melhorar a produtividade das lavouras de agricultura familiar. Cada um deles tem capacidade para atender até 500 metros quadrados. “A produção dos pequenos agricultores é essencial para o sustento familiar e o excedente pode ser vendido, para reforçar a renda das famílias. A agricultura familiar é importante para o Piauí, por isso a entrega destes kits é tão significativa. Agradeço ao coordenador B. Sá pelo atendimento ao pleito que fiz à Coordenação de Fomento à Irrigação”, disse Iracema Portella. Compostos por 21 itens, entre tubos de distribuição, registro, filtro de tela, conexões e adaptadores, os Kits são de fácil manuseio e fazem diferença especialmente nas localidades onde os recursos hídricos são escassos. A maioria das lavouras de agricultura familiar do Piauí produz feijão, milho, abóbora, melancia e verduras como coentro, cebolinha, alface e pimentas.

O PP Mulher Piauí levou a Amarante, o seminário "Bebida: Lazer com Responsabilidade", projeto realizado em parceria com a Fundação Milton Campos. O seminário é direcionado as profissionais da área da saúde, educação e assistência social que trabalha com crianças, adolescentes e jovem. O objetivo é informar sobre os riscos do consumo de álcool, especialmente entre os mais jovens. Mais de 200 pessoas participaram do evento em Amarante.

O PP Mulher Piauí e a Fundação Milton Campos realizaram mais uma edição do seminário Drogas Por Quê - Desafios para a Educação, em Beneditinos. Mais de 200 pessoas, entre profissionais de saúde, educação e assistência social, lideranças comunitárias e religiosas, participaram do evento. "Agradecemos ao prefeito Julivan pelo apoio logístico. Ações como esta fazem diferença nos municípios", declarou a deputada federal Iracema Portella (PP-PI)

Neste mês, celebra-se mais um Novembro Azul, uma campanha mundial de prevenção e combate ao câncer de próstata. Em 2017, o lema da iniciativa é “Seja herói da sua saúde”. Um chamamento para que os homens se cuidem mais, busquem informações sobre o câncer de próstata e procurem um urologista. A campanha, aqui no Brasil, é promovida pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Para a deputada federal Iracema Portella (PP-PI), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo de tumor mais frequente em homens, após os de pele. A doença pode demorar a se manifestar.E isso é um grande risco, porque pode ser descoberta em estágio já avançado.

Daí a necessidade de que os homens se submetam, periodicamente, a exames específicos com o urologista, que é o especialista dessa área. Somente o diagnóstico precoce é capaz de garantir a cura da doença, defende a deputada. Segundo a SBU, mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem esses fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, e sobre o exame de sangue PSA.

Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Entre os fatores de risco para a doença estão, por exemplo, histórico familiar de câncer de próstata; raça (homens negros sofrem maior incidência desse tipo de câncer) e obesidade. Em 2017, de acordo com dados da SBU, mais de 60 mil casos de câncer de próstata serão diagnosticados. Com a descoberta precoce, a doença tem cerca de 90% de chances de cura. Iracema explicou que, no Brasil, estima-se que um homem morra a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, conforme dados da Sociedade Brasileira de Urologia.

Os especialistas da SBU desmistificam alguns aspectos relacionados a essa doença. Por exemplo, segundo eles, essa não é uma doença só de idosos. Apesar de o risco para esse câncer aumentar significativamente após os 50 anos, cerca de 40% dos casos são diagnosticados em homens abaixo dessa idade. Porém, esse tipo de tumor é raro antes dos 40 anos. Outro mito é o de que o PSA baixo indica que não há risco de ter o tumor. Estima-se que o câncer de próstata esteja presente em 15% dos homens com níveis normais de PSA, daí a importância do exame de toque retal. Um dos conselhos dos especialistas é evitar o sedentarismo e a obesidade.

A atividade física tem um papel relevante na prevenção e no tratamento. Outra dica é controlar o estresse e adotar hábitos saudáveis para fortalecer a imunidade. “A campanha do Novembro Azul é fundamental para a prevenção e a detecção precoce dessa doença, fazendo um trabalho de esclarecimento e conscientização sobre o câncer de próstata, que tem grande repercussão na sociedade”, concluiu a parlamentar piauiense.

A comissão especial da Câmara que analisa a ampliação da licença maternidade em caso de bebê prematuro aprovou nesta tarde, por 19 votos a 1, o texto principal de proposta que, além de aumentar o período de afastamento da mãe de 120 dias para até 240 dias, poderá inserir na Constituição, segundo parlamentares, a proibição de todas as formas de aborto no País. Falta analisar 11 destaques. Ao examinar duas propostas de emenda à Constituição que tratam da licença maternidade – PEC 181/15, do senador Aécio Neves (PSDB-MG), e PEC 58/11, do deputado Dr. Jorge Silva (PHS-ES) –, o relator do colegiado, deputado Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), optou por um novo texto.

Nele, Mudalen estabelece que o princípio da dignidade da pessoa humana e a garantia de inviolabilidade do direito à vida, ambos já previstos na Constituição, deverão ser respeitados desde a concepção – ou seja, do momento em que o óvulo é fecundado pelo espermatozoide –, e não apenas após o nascimento. “Isso significa que nós somos favoráveis à vida”, disse. Segundo ele, o Código Penal não é alterado pela proposta. Segundo a deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), a medida poderá inviabilizar o aborto nos casos permitidos pelo ordenamento jurídico brasileiro. Atualmente, o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) não considera crime o aborto praticado nos casos em que a gestação decorre de estupro ou põe em risco a vida da mulher.

Em abril de 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que não é crime a interrupção da gravidez quando o feto apresentar má formação do cérebro (anencefalia). Criada em 30 de novembro do ano passado, a comissão especial da Câmara surgiu como resposta a uma decisão da Primeira Turma do STF que, um dia antes, havia decidido não considerar crime a prática do aborto durante o primeiro trimestre de gestação. Tentativas de adiamento Durante as quase quatro horas de discussão nesta quarta-feira, deputados da oposição tentaram adiar a votação da proposta.

A deputada Erika Kokay (PT-DF) apresentou questão de ordem argumentando que o parecer de Mudalen trata de tema estranho à proposta original. O presidente da comissão especial, Evandro Gussi (PV-SP), decidiu que o relator pode incluir ponto que não estava na PEC original desde que guarde relação com o tema. Segundo ele, se o plenário da comissão entendesse que o parecer extrapola o tema, deveria se manifestar contrariamente por meio do voto. Para Kokay, a decisão configura “fraude”, ao desrespeitar os 171 deputados que assinaram a proposta original que apenas amplia a licença maternidade para mães de bebês prematuros.

O deputado Givaldo Carimbão (PHS-AL) rejeitou a acusação de “fraude” e disse que a posição dos deputados religiosos têm que ser respeitada. O deputado João Campos (PRB-GO) acusou de “intolerância religiosa” aqueles que são contrários ao parecer de Mudalen. O deputado Glauber Braga (Psol-RJ), por sua vez, questionou a legalidade do funcionamento da comissão, mesmo sem a deliberação, pelo presidente da Câmara, de requerimento de Gussi para prorrogar o prazo dos trabalhos.

“Se uma mulher que sofreu um estupro coletivo e realizou interrupção da gravidez, vocês acham que ela deve ser presa?”, questionou. Em resposta, o deputado Sostenes Cavalcante (DEM-RJ) afirmou ser “a favor da vida” e contra “a morte dos indefesos”. Para Diego Garcia (PHS-PR), o relatório contempla grande parte da sociedade brasileira, “contrária ao aborto”, inclusive as mulheres. “Se as mulheres tivessem representação maior na Casa, o resultado dessa discussão seria outro. Não legislem por nós”, contra-argumentou Luiza Erundina (PSB-SP).

Análise da constitucionalidade Já a deputada Pollyana Gama (PPS-SP) defendeu que a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara se manifeste também sobre o parecer de Mudalen. A CCJ, que tem como atribuição examinar preliminarmente a constitucionalidade das PECs, aprovou a admissibilidade apenas da versão original apresentada pelo deputado Dr. Jorge Silva. Durante o debate, Dr. Jorge Silva destacou que 12% dos nascimentos hoje são de crianças prematuras e que muitas ficam internadas por mais de 240 dias. Atualmente, o texto constitucional estabelece que a gestante tem direito, sem prejuízo do emprego e do salário, à licença maternidade com a duração de 120 dias. Já a Lei 11.770/08 autoriza a prorrogação dessa licença por 60 dias para a funcionária de empresas que aderirem ao Programa Empresa Cidadã.

Agência Câmara

 

 

Cerca de 50 mulheres participaram do Encontro “Saúde da Mulher”, realizado pela Coordenação Municipal da Mulher Progressista, na cidade de Massapê do Piauí. Iracema Portella agradeceu a vereadora Mariane, que acolheu o grupo com muito carinho. Mais uma ação em parceria com a Fundação Milton Campos e a Coordenação Estadual da Mulher Progressista do Piauí.

Iracema defende a importância de implantar mais Unidades Móveis de Saúde da Mulher, para a realização de exames ginecológicos e mamografia, especialmente no interior do Estado.

“A mulher cuida dos filhos, do marido, da casa, do trabalho, e sua saúde acaba ficando em segundo plano. Essa mentalidade precisa ser mudada e acho que facilitar o acesso das mulheres do interior, principalmente nos municípios e localidades mais afastados, é uma forma de fazer isso”, comentou a deputada.

O final de semana foi marcado por atividades intensas em prol da saúde e bem estar das mulheres. Uma ação da Mulher Progressista do Piauí, levou até as comunidades Soim, zona rural de Teresina e Novo loteamento do Bela Vista III, a palestra sobre "Mulher - Consciente no Combate ao Câncer de Mama", objetivando compartilhar informações sobre o câncer de mama e promover a conscientização sobre a doença. “Nosso agradecimento e carinho a querida Conceição, Coordenadora do Grupo Janela dos Sonhos da Comunidade Soim e a grande liderança Zenaide pela organização e acolhida”, declarou Iracema Portella.

Iracema engajada nos direitos e saúde da mulher acredita que essa questão deve ser enfrentada com vigor e seriedade, já que os dados apontam que câncer de mama é o mais comum entre as mulheres. Segundo a parlamentar piauiense, para reduzir a mortalidade por esses tumores, o poder público deve investir cada vez mais em ações preventivas e melhorar a qualidade do tratamento. “É preciso garantir o acesso à mamografia para todas, investir mais nas ações de controle e prevenção da doença e nas campanhas massivas de disseminação de informações sobre o problema”, declarou a deputada.

Mais de 600 jovens da Unidade Escolar Farmacêutico João Carvalho e do CETI Rocha Neto participaram das palestras do projeto Juventude e Drogas: Prevenção + Ação ontem, em Oeiras.  O projeto é uma realização das Mulheres Progressistas do Piauí e Fundação Milton Campos em parceria com a Fazenda da Paz e tem o apoio da deputada federal Iracema Portella (Progressistas).De acordo com a coordenadora estadual das Mulheres Progressistas, Erinalda Feitosa, as ações tem tido resultados positivos tanto nos municípios quanto na capital, Teresina. “Percebemos um interesse especial das escolas e das comunidades no assunto; porque o uso de drogas é uma questão que deve ser discutida por toda a sociedade. Vemos que nas escolas as crianças e adolescentes demonstram vontade de aprender mais sobre prevenção e sentimos que após as palestras eles se sentem aptos a disseminar as informações que receberam, isso é o mais importante”, comenta.

Para a deputada federal Iracema Portella, apoiar ações de prevenção é fundamental para chegar às crianças e adolescentes antes que eles possam ter contato com qualquer tipo de droga. “O jovem bem informado tem consciência de que pode dizer ‘não’, de que consumir álcool ou drogas vai fazer mal a ele, vai trazer sofrimento para ele, para sua família, seus amigos. Então estamos focados nisso: em dar informação de qualidade, em tirar dúvidas, em mostrar os riscos. Acredito muito na prevenção como ferramenta para proteger a juventude”, diz a parlamentar. Em Oeiras, o projeto Juventude e Drogas: Prevenção + Ação fez parte da programação da I Semana da Juventude, organizada pela Coordenação Municipal da Juventude.

A deputada federal Iracema Portella (PP-PI) comemorou a boa notícia, em que a população do Bairro Vila Nova, no município de Corrente, agradeceu as obras de pavimentação da Rua Odon Ribeiro, obra executada através de suas emendas parlamentares via Codevasf. O vereador progressista Luís Augusto (PP) esteve no local vistoriando as obras e conversando com moradores e operários. “Nós, parlamentares federais, temos que atuar em estreita parceria com os municípios, prestando atenção às suas demandas e lutando, no Congresso Nacional, por mais recursos e condições para que possam se desenvolver sempre”, declarou.