Notícias

O Progressistas-PI realizou uma grande solenidade em Teresina para a recepção dos seus novos filiados. Prefeitos e lideranças de todo o Estado tiveram suas fichas abonadas pelo presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira; deputados federais Iracema Portella e Mainha, vice-governadora Margarete Coelho e deputado estadual Júlio Arcoverde. O evento contou com a presença do governador do Piauí Wellington Dias, do prefeito de Teresina Firmino Filho, parlamentares, dezenas de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e lideranças.

Para a deputada federal Iracema Portella, o momento é de orgulho por ver o crescimento do Progressistas no Estado. “As pessoas que estão se filiando ao nosso partido são prefeitos e lideranças que fazem diferença no Piauí. Para nós é uma honra ter pessoas que trabalham e fazem a política com P maiúsculo. O nosso partido cresce paulatinamente, isso é bom. Nunca quisemos crescer a qualquer custo, sempre pensamos em crescer com responsabilidade, principalmente dando atenção especial a cada um dos municípios. O resultado é este, que nos faz muito felizes”, disse a parlamentar.

O Secretário-Geral da Presidência da República, ministro Moreira Franco, recebeu a Bancada Federal do Piauí, em Brasília, parar tratar a liberação de um empréstimo, junto a Caixa Econômica, de 315 milhões. Para a deputada federal Iracema Portella (Progressistas), esse investimento é de grande importância, pois além de sanar as finanças do Estado, será possível dar prosseguimento a obras de infraestrutura, implantação e recuperação de rodovias, melhoria da mobilidade urbana e saneamento básico. Estiveram na reunião, os senadores Ciro Nogueira e Elmano Ferrer e os deputados federais, Iracema Portella, Mainha, Átila Lira e Paes Landim.

 

O senador Ciro Nogueira, a deputada federal Iracema Portella e o secretário estadual de Saúde do Piauí, Florentino Neto, estiveram em audiência com o ministro da Saúde Ricardo Barros na manhã de hoje. Após a reunião, o ministro anunciou a destinação de dois equipamentos para o tratamento de câncer no Piauí. Serão dois aceleradores lineares para a realização de Radioterapia, um para o Hospital Universitário, em Teresina, e o outro para a Maternidade Marques Basto, na cidade de Parnaíba. Vale ressaltar que a capital do Piauí é referência em saúde no Nordeste. Iracema Portella destacou o empenho de Ricardo Barros e agradeceu pela atenção que o Ministério dedica às reivindicações do Estado. “A Radioterapia é um tratamento eficaz e seguro contra o câncer. Estamos certos de que os equipamentos terão bom uso e vão melhorar o atendimento aos pacientes de câncer no Piauí”, declarou a deputada federal.

A data de 25 de novembro foi declarada como Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher, no Primeiro Encontro Feminista da América Latina e Caribe, realizado na cidade de Bogotá, na Colômbia, em 1981. Em meio à mobilização internacional dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, a Câmara dos Deputados realizou hoje (29/11), uma Sessão Solene como parte da programação em torno do tema. A deputada federal Iracema Portella (Progressistas) reforçou que já se avançou bastante nesse combate. Mas também é certo que ainda enfrentamos cenários absurdos, de preconceito, discriminação e violência contra meninas e mulheres.

“Datas como essa são fundamentais para que possamos aprofundar os debates sobre como prevenir e combater a violência contra as mulheres, buscando soluções para aprimorar nossas políticas públicas de proteção às vítimas e de empoderamento feminino”, declarou. De acordo com a deputada, cabe ressaltar que a violência não é apenas a física. Ela se manifesta de várias formas, de maneiras sutis, sendo uma realidade em casa, na comunidade, nas ruas, nas relações afetivas, sociais e familiares, no trabalho e nas redes sociais.

“São práticas que causam sofrimento físico e psicológico, constrangimentos, barreiras no mercado de trabalho e no ambiente escolar. Temos duas leis fantásticas e modernas, que merecem ser aclamadas. A Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio. São conquistas essenciais para as mulheres”, disse. A Lei do Feminicídio diferencia os assassinatos de mulheres pela condição de gênero do conjunto de homicídios do Brasil. É uma forma de mostrar que a violência contra a mulher no nosso País é, infelizmente, um fato cotidiano, muitas vezes, naturalizado e banalizado. A taxa de feminicídio do Brasil é a quinta maior do mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Uma em cada três mulheres brasileiras é vítima de violência, segundo dados do Datafolha.

As mulheres negras estão morrendo mais no Brasil. Segundo números do Atlas da Violência 2017, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), enquanto a mortalidade por homicídio de mulheres brancas, indígenas e amarelas caiu 7,4% entre 2005 e 2015, a mortalidade de mulheres negras teve um aumento de 22% no mesmo período. Eliminar todas as formas de violência contra as mulheres e meninas nas esferas públicas e privadas é uma das metas estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, um conjunto de compromissos assumidos pelos países membros da ONU para melhorar as condições de vida no planeta até 2030.

Para Iracema Portella, é preciso unir forças para enfrentar o fenômeno da violência contra a mulher. Antes de tudo, é crucial melhorar os mecanismos de prevenção, investindo cada vez mais em campanhas maciças de conscientização da sociedade sobre os direitos das mulheres, a importância da equidade de gênero e de viver num mundo sem discriminação de qualquer ordem. “Mas, quando a violência é constatada, é nossa missão oferecer às vítimas uma rede sólida e preparada para ajudá-las a denunciar os agressores e a reconstruir suas vidas. Vamos em frente, com determinação e vontade política para colocar um ponto final nessa violência que tira a vida e interrompe os sonhos de milhares de mulheres brasileiras”, finalizou a parlamentar piauiense.

A deputada federal Iracema Portella acompanhou a entrega de cinco ambulâncias para a Fundação Municipal de Saúde, em Teresina. Os veículos foram entregues em solenidade na FMS, com a presença do senador Ciro Nogueira, prefeito de Teresina Firmino Filho, vice-governadora Margarete Coelho, secretários municipais e vereadores. A deputada Iracema destacou a atenção que o Ministério da Saúde tem dedicado ao Piauí, especialmente pela atuação direta do senador Ciro Nogueira junto ao órgão, levando as demandas do Estado. “Sabemos das dificuldades que as prefeituras têm para prestar um bom atendimento na área da saúde, e aqui em Teresina isso é mais notório porque nossa capital atende gente do interior e de outros Estados.

É muito válida essa soma de esforços para garantir mais investimentos”, disse a parlamentar. A coordenadora do SAMU, Francina Amorim, falou sobre a importância das novas ambulâncias. “É um momento de muita satisfação para toda a equipe do SAMU, porque vemos que é uma nova era começando. Recomeçamos a partir de hoje. Passamos por períodos difíceis, colocamos nossa situação para o prefeito Firmino e para o dr. Silvio Mendes e eles se sensibilizaram. Apesar das dificuldades, os funcionários do SAMU nunca desistiram. Nós sabemos o quanto este serviço é importante para a população”, declarou. As ambulâncias são do modelo 415 Sprinter, ano 2017/2018. O valor de cada veículo é R$ 176.286,00, o que corresponde ao investimento total de R$ 881.430,00.

Teresina e São Félix do Piauí receberam o Seminário Bebida, Lazer com Responsabilidade, realizado pela Fundação Milton Campos com o apoio da deputada federal Iracema Portella e Mulher Progressista do Piauí. Em Teresina, o evento aconteceu no Centro de Formação Odilon Nunes e teve cerca de 100 participantes, entre profissionais de saúde, educação, serviço social, lideranças comunitárias e religiosas. O secretário Samuel Silveira, da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, participou do seminário com parte de sua equipe, e destacou a importância de haver ações de prevenção contra o uso de álcool e drogas para proteger crianças e adolescentes. Para a deputada federal Iracema Portella, o alerta a respeito dos riscos do consumo de bebida alcoólica é necessário. "O consumo precoce de álcool traz consequências graves como queda do desempenho escolar, sexo sem proteção, gravidez indesejada, dentre outras. É nosso dever alertar, essa luta é de todos nós", comentou.

Foi criado, no último dia 08 de novembro, a Frente Parlamentar da Odontologia com a participação de 398 deputados. A deputada federal Iracema Portella (Progressistas), faz parte desse grupo que procurará atuar em estreita parceria com a sociedade civil e o Conselho Federal de Odontologia. De acordo com a deputada, a ideia é trabalhar pela aprovação de matérias que são de interesse da população em geral e, mais especificamente, dos profissionais dessa área. Um dos projetos de lei prioritários é o 8131/17, que institui a Política Nacional de Saúde Bucal no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo a proposição, trata-se de um “conjunto de diretrizes que configura modelo de organização e atuação voltado à atenção à saúde bucal no País e que se constitui como instrumento para orientar as ações direcionadas à produção social da saúde bucal e, especificamente, as ações odontológicas em todos os níveis de atenção à saúde no SUS”.

De acordo com o projeto, estão entre as diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal estimular e promover a prática da gestão participativa, assegurando a atuação de representações populares e o controle público ou social, em todas as esferas de governo, na formulação e na discussão de estratégias de saúde bucal; possibilitar o acesso universal, equânime e contínuo a serviços de saúde bucal de qualidade, dando resolução para toda demanda manifesta, espontânea ou programada.

Além de viabilizar a obtenção e alocação dos recursos destinados à eliminação da demanda reprimida na área; efetivar relações de vínculo entre a equipe de saúde bucal e a população garantindo que as ações desenvolvidas estejam voltadas para as diferentes linhas do cuidado em saúde e desenvolver política de educação permanente em saúde para os trabalhadores em saúde bucal, com o objetivo de implantar projetos de mudança na formação em nível técnico, de graduação e de pós-graduação, de modo a atender às necessidades da população e aos princípios do SUS.

“A Frente Parlamentar tem, entre suas missões, lutar pelo atendimento odontológico mais acessível à população e atuar na defesa da atuação dos mais de 500 mil dentistas e técnicos de Odontologia do Brasil. Com certeza, será um instrumento valioso na batalha pelos direitos de todos os brasileiros a ter mais saúde e qualidade de vida”, esclareceu Iracema Portella.

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara aprovou, o PL 1227/2015, da deputada federal Iracema Portella (Progressistas), que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96) para estabelecer a prioridade de matrícula de pessoas com deficiência em instituições de ensino. Hoje, a lei garante atendimento educacional especializado gratuito aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, preferencialmente na rede regular de ensino. O texto aprovado determina que o Ministério da Educação proíba o funcionamento de instituições de ensino que não ofereçam assistência a professores, alunos, servidores e empregados portadores de deficiência ou com mobilidade reduzida.

Mais de 100 pessoas participaram do seminário Drogas Por Quê – Desafios para a Educação no município de Pau D’Arco do Piauí. Realizados pela Fundação Milton Campos, os seminários estão entre as ações de prevenção ao uso de drogas trabalhadas pela deputada federal Iracema Portella no Piauí. A palestrante Isabel Costa falou para uma plateia atenta, formada por profissionais das áreas de saúde, educação, serviço social e segurança, e também lideranças comunitárias e religiosas. “O mais notável nestes seminários é ver que as pessoas se sentem incentivadas a disseminar o conhecimento que recebem. Vão levar às suas comunidades o que aprenderam e assim é possível identificar casos em que crianças e adolescentes possam estar sendo atraídas para o mundo das drogas”, destaca a deputada Iracema. De acordo com a coordenadora do Mulher Progressista no Piauí, Erinalda Feitosa, o apoio da Prefeitura de Pau D’Arco foi fundamental para o sucesso do evento.

“O prefeito Nilton Bacelar acompanhou pessoalmente toda a organização, junto com sua equipe. Essa parceria é muito importante”, disse. O seminário Drogas Por Quê – Desafios para a Educação vem sendo realizado em todas as regiões do Piauí. “A prevenção é a melhor forma de enfrentar o desafio de lutar contra as drogas. E a informação é o caminho mais correto para alertar as comunidades”, completou Iracema Portella.

Na data de 20 de novembro, celebra-se o Dia Nacional da Consciência Negra. Para a deputada federal Iracema Portella (Progressistas), é uma oportunidade para a sociedade brasileira aprofundar as reflexões sobre o legado, a história e os direitos dos negros no Brasil. A data foi escolhida em homenagem ao líder Zumbi dos Palmares. Ele morreu no dia 20 de novembro de 1695, depois de anos defendendo o Quilombo de Palmares de expedições que pretendiam escravizar, novamente, os negros que conseguiram fugir. Segundo dados de 2014 do IBGE, negros e negras, o que inclui pardos e pretos, compõem 53,6% da população brasileira. Apesar de maioria, esse grupo enfrenta desigualdades, a começar pela renda: entre os 10% do segmento mais pobre do País, 76% são negros. Entre o 1% mais rico, apenas 17,4% são negros. De acordo com pesquisa recente do IBGE, os negros são os mais atingidos pelo desemprego. No terceiro trimestre de 2017, dos 13 milhões de desempregados no Brasil, 8,3 milhões eram pretos ou pardos, o que significa 63,7% do total.

A taxa de desemprego entre eles ficou em 14,6%. Entre os brancos, esse índice foi de 9,9%. A população negra é, ainda, a mais suscetível à violência: um homem negro tem oito vezes mais chances de ser vítima de homicídio no Brasil do que um branco, segundo mostram estudos realizados a partir de dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Na educação, enquanto 22,2% dos brancos têm 12 anos de estudos ou mais, a taxa é de 9,4% para os negros. O índice de analfabetismo para os negros é de 11,8% — maior que a média da população brasileira (8,7%). Dos jovens entre 15 e 29 anos que não estudavam nem trabalhavam, 62,9% eram negros e negras, de acordo com o IBGE.

A maternidade precoce é um dos fatores que levam meninas a essa condição: do total de garotas de 15 a 19 anos sem estudo e sem trabalho, 59,7% têm pelo menos um filho sendo que, destas, 69% são negras. Portanto, segundo a deputada, é preciso olhar com atenção para esses dados e promover as mudanças necessárias para que possamos viver numa sociedade mais justa.

O primeiro passo é reconhecer a importância de falar abertamente sobre preconceito, racismo e discriminação. “Infelizmente, ainda enfrentamos, no nosso País, esses problemas. E é preciso aprofundar esse debate”, declarou. Para finalizar, Iracema Portella reforça combater, com vigor e determinação, todas as manifestações de racismo, desde as mais sutis, aquelas que estão arraigadas na sociedade e vêm à tona em forma de comentários e piadas de mau gosto envolvendo os negros, que sofrem discriminações no seu cotidiano em várias esferas: nas ruas, nos serviços públicos e privados, no ambiente de trabalho, na internet e nas relações sociais e familiares. “Não podemos cruzar os braços para as imensas desigualdades que afetam, de forma contundente, a população negra do nosso País. Precisamos transformar esse panorama com a ajuda de todos na sociedade”, concluiu a parlamentar piauiense.