Iracema Portella

Entre os dias 22 e 28 de maio acontece a Semana Mundial do Brincar. É uma iniciativa que visa sensibilizar a sociedade sobre a importância do brincar e a essência da infância.Neste ano, o tema é "O Brincar que Encanta o Lugar". A ação promove brincadeiras, palestras, debates e mobilizações em todo o País. O objetivo é explorar ao máximo o lúdico, sob todas as formas, incentivando que o brincar tome conta de espaços públicos e privados, instituições, escolas, ruas e famílias.

A iniciativa, da ONG Aliança pela Infância, já está na sétima edição. A ideia é envolver também os adultos para que eles nunca percam o encantamento pela infância e possam estimular a criançada a se perder nas brincadeiras. Organizações públicas e privadas, indivíduos e grupos voluntários participam da Semana Mundial do Brincar, abraçando a responsabilidade de proporcionar às crianças uma infância plena, divertida e leve.
Todas as ações devem ser gratuitas e precisam valorizar a união de pessoas de idades e culturas diferentes.

A Aliança pela Infância preparou o Guia da Semana Mundial do Brincar. O objetivo da publicação é apresentar textos reflexivos e sugestões práticas para inspirar educadores, pais, gestores públicos, agentes comunitários e todos os adultos que queiram se engajar na aventura do brincar livre e criativo das crianças.O guia apresenta várias dicas interessantes que podem servir de inspiração para a realização de atividades abordando aspectos como o "Brincar na Rua", "Brincar na Praça", "Brincar em Casa", "Brincar na Escola" e "Brincar na Natureza".

Por que as brincadeiras são tão importantes? Segundo os especialistas, o ato de brincar promove o desenvolvimento cognitivo, afetivo e social da criança, é instrumento de expressão, fonte de aprendizado e troca de saberes, é uma forma de manifestação cultural, cria vínculos e é fonte de prazer.

"Com essa atividade criadora (do brincar) a criança reencanta o mundo ao seu redor, e nós adultos aprendemos a nos maravilhar, de novo, com a vida", afirma Ute Cramer, educadora comunitária e uma das fundadoras da Aliança pela Infância. Para ela, o brincar ajuda a criar um alicerce de vida estável para cada criança. Parabéns, portanto, aos organizadores desta bela iniciativa, que deve ser ampliada a cada ano para atingir o maior número possível de crianças em todo o Brasil.